Ônibus híbrido brasileiro em teste nas ruas do Rio
Tecnologia


Um ônibus híbrido (que utiliza dois tipos de energia para se locomover) percorre as ruas do Rio, em período de testes. Decorado com motivos inspirados nos Jogos Pan Americanos de 2007, o veículo, da Real Auto Ônibus, faz o percurso da linha 179 (Alvorada-Central) trazendo para os espaços cariocas tecnologia nova, brasileira, já testada na Europa. Segundo o diretor da Real, em termos de meio ambiente, “o futuro é o passado”, ou seja: a tendência é trocarmos os combustíveis usados atualmente por soluções já utilizadas, menos poluentes, voltando aos tempos de trólebus e bondes. Segundo ele, a experiência com o ônibus híbrido vai proporcionar a avaliação da relação custo-benefício da nova tecnologia na operação dentro da cidade do Rio de Janeiro, com características geográficas bastante especiais. Em termos de meio ambiente, ele não tem dúvidas de que os ganhos são consideráveis. Embora possua um motor a diesel, de 80 HP, o modelo é capaz de, a partir do acionamento de um gerador, criar a própria energia, passando a funcionar eletronicamente. Com nove metros de comprimento por 2,5 de largura, o ônibus é fabricado pela Eletra Tecnologia, empresa brasileira que vem sendo reconhecida internacionalmente pelo sucesso dos seus ônibus elétricos híbridos.

Como funciona

O ônibus Eletra é semelhante a um trólebus, com a diferença de que não precisa buscar a alimentação de energia na rede elétrica, pois é capaz de gerá-la a bordo. Um motor elétrico é responsável pela tração nas rodas e um conjunto motor-gerador gera a energia que movimenta o veiculo. Esse conjunto pode funcionar com diesel limpo, gasolina, GNV ou outros combustíveis. Um grupo de baterias armazena e fornece energia adicional ao motor de tração, quando necessário.

Quando o condutor dá a partida no motor diesel, este chega ao “ponto ideal” de rotação (quando há o menor consumo de combustível, aliado à menor emissão de poluentes). O veículo irá manter essa rotação enquanto estiver funcionando. Durante o deslocamento, o motor elétrico é alimentado pelo motor-gerador e pelo conjunto de baterias. Durante as paradas, o gerador recarrega as baterias do veículo. Nas descidas ou em frenagem, o motor elétrico se transforma em gerador e carrega as baterias, recuperando parte da energia cinética do veículo. Uma das vantagens do sistema é que o motor diesel utilizado pode ser bem menor do que o convencional. Um ônibus que necessitaria de um motor de 210 HP, no sistema híbrido terá o mesmo desempenho com um de 80 HP.

Reconhecimento internacional

Em declaração assinada pelo diretor do Programa Ambiental, Hal Harvey, a Hewlett Foundation registrou sua aprovação à tecnologia Eletra: “Este é um sistema sério, e muitas companhias com avançada tecnologia para ônibus falharam porque subestimaram as dificuldades dos ônibus urbanos. A tecnologia híbrida é sofisticada mas não desnecessariamente complexa. Quase todos os componentes do ônibus são fabricados com tecnologias brasileiras. Isto faz o ônibus Eletra mais barato – de 50% a 75% – que seus concorrentes!” diz um trecho da declaração, que ainda informa o apoio financeiro dado pela H.F. à compra de 15 ônibus de 15 metros que estão sendo usados em São Paulo, no corredor 9 de Julho, além de um “detalhado e extenso processo de testes para estes ônibus e para três ônibus ‘sombra’, com o IPT, uma agência de pesquisa afiliada à Universidade de São Paulo”, e do patrocínio de um workshop para avaliação da tecnologia por engenheiros.

No livro “Hybrid Vehicle Propulsion”, escrito em parceria com R.H. Bernard, o especialista inglês Colin Jefferson, da University of the West of England, classifica o ônibus brasileiro como “talvez o mais bem sucedido ônibus elétrico híbrido do mundo”. Os autores dedicaram várias páginas da publicação ao Eletra e afirmam que “a mais marcante característica do ônibus híbrido brasileiro é a acentuada redução no consumo de combustível: um desempenho que contrasta com os testes de ônibus híbridos italianos e dinamarqueses”.

As empresas de ônibus do Rio, que já limparam o ar da Região Metropolitana com os excelentes resultados obtidos no Projeto EconomizAR, onde conseguiram um aumento do índice de veículos dentro dos padrões de 80%, desde o início do Programa (1997) até hoje, demonstram, através da iniciativa da Real Auto Ônibus, que têm um compromisso concreto com a questão ambiental.


   
Clique aqui para Imprimir !
Voltar a página anterior !