Notícias

17/04/2018

Água economizada na Flores abasteceria 170 famílias cariocas por dia

De acordo com a Agência Nacional de Águas (ANA), 46,2% de toda água retirada para uso no Brasil é destinada à irrigação. Em 2016, a demanda total de água retirada para irrigação no Brasil era de 969 m³/s, ou seja, 969 mil litros por segundo. O abastecimento urbano fica com 23,3% de toda água destinada para consumo, sendo necessários 488,3 m³/s, cerca de 15 vezes a demanda para o abastecimento rural, para atender à necessidade da população que vive nas cidades. Ainda no meio urbano, as indústrias ficam com 9,2% do total da água usada.

 

Na Flores, a lavagem dos 652 ônibus acontece todos os dias, para garantir a limpeza e higiene dos veículos. Quando a lavagem é realizada na área externa são gastos cerca de 200 litros de água, em um minuto e meio. Isso equivale ao uso diário de um habitante da região Sudeste, de acordo com levantamento do Instituto Trata Brasil. Mas, é importante destacar que 80% da água utilizada na limpeza dos veículos vêm do reuso e da captação fluvial. Essa ação garante uma economia mensal de 6 mil m³ de água e de R$ 130 mil.

 

Foto: Divulgação / Transportes Flores

Foto: Divulgação / Transportes Flores

 

O reuso da água é exigido por lei, desde 2011, no Estado do Rio de Janeiro, mas a Flores já adota o processo desde 2004, bem antes da regulamentação. Em 14 anos, foram economizados 954 mil m³ de água, o suficiente para encher 381 piscinas olímpicas. A lei estadual 6.034/11 determina que postos de combustíveis, lava-rápidos, transportadoras e empresas de ônibus urbanos tenham equipamentos de tratamento e reutilização da água usada na lavagem de veículos.

 

A água utilizada na lavagem dos veículos é tratada em uma estação própria, que utiliza processos de floculação, decantação, higienização e filtragem. Além disso, em toda a área onde é feita a limpeza dos ônibus e no pátio externo da empresa, a água da chuva é captada e passa pelo mesmo processo.

 

O investimento feito em equipamentos, estação e processo, no caso da Flores, foi recuperado em apenas um ano e meio. “Esse é um investimento que dá retorno financeiro, com uma economia significativa na conta de água. Tem também o retorno ambiental, pois os passivos da empresa são reduzidos. E por fim há o impacto social, já que deixamos de usar muitos litros de água na Baixada Fluminense, região que sempre sofreu com a falta desse bem”, explicou Laercio Penido, gerente de Manutenção.

 

Além do reuso, a Transportes Flores investe em outras frentes. O programa Mais Com Menos promoveu várias ações para o uso sustentável da água, como a utilização dos redutores de vazão; troca de torneiras e descargas; controle das mangueiras e fim do uso de esguicho de água para varrição de pisos.

 

A Flores vai ainda mais longe quando se trata de economia desse importante recurso natural. Consciente de que o uso da água está presente em todos os processos industriais, a empresa incluiu entre suas ações a redução de impressões de documentos e de fotocópias. Em dois anos, menos 126 mil folhas de papel foram utilizadas pela empresa, a partir da otimização e digitalização dos processos internos. A campanha para o não desperdício de energia também foi implementada, com a conscientização dos colaboradores.