Notícias

22/07/2020

Brasil é aceito como observador no ITF

O Brasil acaba de se tornar membro observador no Fórum Internacional de Transporte (ITF), órgão administrativamente integrado à OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico), mas politicamente autônomo.

O ITF é uma organização intergovernamental, que atua como um laboratório de ideias da política de transportes, um think tank da política de transportes. Ele analisa tendências, compartilha conhecimento e promove o intercâmbio entre tomadores de decisão em transporte e a sociedade civil. O órgão é responsável pela Cúpula Anual de Ministros dos Transportes, principal plataforma mundial de políticas de transporte. Sua missão é promover uma compreensão mais profunda do papel dos transportes no crescimento econômico, na sustentabilidade ambiental e na inclusão social, além de aumentar o perfil público da política de transporte.

O organismo é o único global que abrange todos os modos de transporte. Atualmente, conta com 60 países membros, que aprovaram, por unanimidade, a entrada do Brasil como observador. O status, concedido por um período renovável de dois anos, permitirá ao País maior cooperação e intercâmbio de políticas de transporte com outras nações, o que também enriquecerá o diálogo no ITF sobre os desafios políticos no mundo e na América Latina.

Países membros: Albânia, Argentina, Armênia, Austrália, Áustria, Azerbaijão, Bielorrússia, Bélgica, Bosnia-Herzegovina, Bulgária, Canadá, Chile, China, Croácia, República Checa, Dinamarca, Estônia, Finlândia, França, Georgia, Alemanha, Grécia, Hungria, Islândia, Índia, Irlanda, Israel, Itália, Japão, Cazaquistão, Coreia, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Malta, México, Moldavia, Montenegro, Marrocos, Holanda, Nova Zelândia, Macedônia, Noruega, Polônia, Portugal, Romênia, Russia, Sérvia, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Suécia, Suíça, Tunísia, Turquia, Ucrânia, Emirados Árabes, Reino Unido e Estados Unidos.