A primeira fase do BRT Transcarioca entrou em operação no início de junho de 2014. Atualmente, conta com 28 das 47 estações ativas. Os clientes do sistema tem a disposição quatro tipos de serviço: Alvorada-Galeão (via Vicente de Carvalho); Alvorada – Vicente de Carvalho; além da ligação entre o Terminal Alvorada com o Aeroporto Internacional do Galeão (parador e expresso). Os serviços funcionam 24 horas. Somente o trecho entre o terminal Alvorada e Vicente de Carvalho é que funciona das 5 às 23 horas. Os intervalos são de acordo com o planejamento da Secretaria Municipal de Transportes.

 

No total, serão 47 estações, e 147 veículos farão parte desse corredor. A redução no tempo de viagem é de até 60% em todo o trajeto. Do Terminal Alvorada à estação Vicente de Carvalho, são aproximadamente 50 minutos, e desse ponto até o aeroporto, 30 minutos. A aprovação do novo sistema é bastante satisfatória não somente pela qualidade do transporte, mas pela redução no tempo de viagem e no valor gasto na passagem, já que o BRT custa R$ 3,00, cinco vezes menos que o convencional, cujo destino é o Galeão. Os ônibus do expresso Alvorada – Galeão possuem bagageiros, mas todos os bancos são espaçosos e comportam malas de pequeno e médio porte.

 

Os turistas que chegam ao Rio de Janeiro pelo Tom Jobim já estão utilizando o Transcarioca. A estação Vicente de Carvalho é a principal parada, devido ao acesso às linhas do Metrô Rio. No Terminal Alvorada é possível perceber o embarque e o desembarque de diferentes perfis, como moradores da Barra a caminho do trabalho ou em direção ao aeroporto. Até trabalhadores do aeroporto, com uniformes de empresas aéreas e pequenas bagagens, fazem parte desse novo público, que começa a deixar o carro em casa.

 

Foto: Arthur Moura

Foto: Arthur Moura

 

Ambiente de Primeiro Mundo

 

Todas as estações seguem o mesmo padrão do BRT Transoeste: design moderno, estrutura pré-fabricada, acessibilidade universal, sistema de captação de vento que mantém o local arejado, monitores com informações sobre o tempo de deslocamento dos articulados atualizados constantemente, abertura de portas controlada por dispositivos automáticos e máquinas de autoatendimento para vendas e recargas de cartões. Além disso, bilheteiros e equipes de segurança e de limpeza trabalham para atender os usuários com excelência.

 

Cada estação possui cinco câmeras posicionadas nas catracas, plataformas de embarque e bilheterias, e toda a operação é monitorada pelo Centro de Controle Operacional (CCO) do BRT, em tempo real, inclusive dentro dos ônibus. A frota é uma das mais modernas do Brasil, e todos os veículos possuem computador a bordo, câmbio automático, controle eletrônico de velocidade, freio retarder (com frenagens mais eficientes e seguras) e suspensão pneumática com bolsões de ar.

 

Linhas alimentadoras

 

Na região de Jacarepaguá, os itinerários dos ônibus convencionais começaram a ser reorganizados, no dia 23 de junho, a fim de que entrem em circulação as linhas alimentadoras, uma das medidas do cronograma definido pela Secretaria Municipal de Transportes. Essas linhas, compostas por ônibus comuns com ar-condicionado e mesma identificação do BRT, fazem o trajeto entre pontos de bairros próximos ao eixo do BRT e suas estações.

 

Duas linhas convencionais foram extintas e tiveram suas demandas absorvidas pelos serviços parador e expresso Alvorada – Tanque; outras duas sofreram redução de trajeto. Ambos os processos ajudam também na diminuição do impacto no trânsito. Em 30 de junho, mais cinco foram substituídas pelas linhas alimentadoras, e uma teve seu itinerário alterado, concluindo, assim, a primeira fase de implantação do BRT Transcarioca.

 

Foto: Arthur Moura

Foto: Arthur Moura

 

Informação é prioridade

 

Além de informativos bilíngues sobre o sistema, as estações Galeão, Vicente de Carvalho e Alvorada contaram com a sinalização da Riotur, esquema específico organizado durante a Copa do Mundo. Dentro dos ônibus, o aviso sonoro também é bilíngue, e existem auxiliares de plataforma do BRT prontos para orientar os usuários.

 

Informar pedestres é outra prioridade: ao longo dos 39 quilômetros do Transcarioca, mais de 700 faixas e placas foram colocadas pela CET – Rio para alertar transeuntes em relação ao alto risco de acidentes, caso atravessem fora da faixa de segurança ou invadam o corredor. Esta é a grande preocupação dos condutores dos articulados, que têm dirigido muito atentos, com velocidade reduzida e fazendo uso das buzinas, principalmente em trechos de maior movimento. Agentes de trânsito, guardas municipais e guias do BRT estão em pontos estratégicos em campanha de fiscalização e conscientização da população.

 

Transcarioca e Transoeste

 

Os BRTs Transcarioca e Transoeste têm perfis diferentes de viagem: no primeiro, os passageiros descem em estações ao longo do trajeto, não somente na Taquara e no Tanque, mas nas intermediárias, proporcionando grande renovação de fluxo. Já no segundo, a maioria que embarca em Santa Cruz desembarca no mesmo lugar: Terminal Alvorada. As empresas operadoras do Transoeste são: Auto Viação Jabour, Expresso Pégaso, Transporte Santa Maria, Real Auto Ônibus, Viações Algarve, Campo
Grande, Auto Viação Bangu e Tijuquinha. A Auto Viação Três Amigos, a Viação Redentor e a Transporte Barra estão no Transcarioca, e tanto a Transportes Futuro quanto a Litoral Rio Transportes atuam em ambos os corredores.

 

Mesmo operando parcialmente, 20 mil passageiros, por dia, já circulam pelo Transcarioca. Quando for concluído, sua capacidade será de até 320 mil. O Transoeste transporta cerca de 170 mil pessoas diariamente e, ao integrar-se à linha 4 do Metrô, na Barra da Tijuca, serão cerca de 220 mil. Esses, dos quatro corredores do Sistema BRT que estão sendo implantados no Rio de Janeiro, beneficiam aproximadamente 5,5 milhões de indivíduos por mês, ao longo de 94 quilômetros distribuídos pela cidade. Mais 58 quilômetros – Transolímpica e Transbrasil – fazem parte desse projeto, cujo objetivo é oferecer mobilidade urbana rápida, confortável, segura e eficiente, com excelente infraestrutura. A conclusão de todos os processos está prevista para 2016.