Notícias

09/06/2020

Coronavírus: ônibus da Marcopolo e da Caio têm circulação de ar superior à exigida pela ABNT

Pesquisa realizada pela Marcopolo em parceria com a Universidade de Caxias do Sul (UCS) e divulgada no dia 18 de maio apontou que a renovação do ar no interior dos ônibus da marca é 63% maior do que a vazão exigida em estabelecimentos como supermercados, agências bancárias e saguão de aeroportos, por exemplo.

O estudo comprovou que todos os veículos Marcopolo estão alinhados com as recomendações de renovação de ar estabelecidas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pela Sociedade Americana de Engenheiros de Aquecimento e Ar-condicionado (ASHRAE) e que obtiveram desempenho acima dos parâmetros estabelecidos pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). A pesquisa levou em consideração as condições de capacidade máxima dos ônibus (lotação) e variação da condição do veículo estático e dinâmico, bem como das velocidades.
Já a Caio Induscar  elaborou um documento informando que seus veículos seguem o padrão para renovação de ar definidos na ABNT NBR 15570/2011, norma que indica que os equipamentos de ventilação devem assegurar a renovação do ar no veículo pelo menos 20 vezes por hora.

“Nos cálculos do volume interno útil para cada modelo da marca, são considerados apenas os exaustores e os ventiladores, não levando em conta as poltronas e outros equipamentos internos, bem como as trocas de ar efetuadas por ar-condicionado, janelas, alçapões e tomadas de ar natural que compõem cada unidade”, diz o documento. E completa destacando que as trocas de ar, considerando apenas os exaustores e ventiladores nas unidades da marca, chegam a 33% acima do estabelecido por norma e 63% acima do estabelecido para ambientes como escritórios, bancos e supermercados.

A norma ABNT 15570 para a renovação de ar para ônibus exige que os mesmos possuam uma taxa de renovação de pelo menos 20 vezes o volume interno útil do veículo (desconsiderando poltronas e demais componentes internos).