Notícias

21/04/2020

Coronavírus: uso de máscaras é obrigatório no Rio, Araruama, Búzios e Macaé

As prefeituras de Araruama, Búzios, Macaé e Rio de Janeiro publicaram decretos determinando o uso obrigatório de máscaras de proteção para prestadores de serviço e para a população em geral que tiver necessidade de sair durante a quarentena. Nas três cidades da Região dos Lagos, a medida começou a valer no dia 20 de abril. No Rio de Janeiro, a obrigatoriedade começa no dia 23 de abril.

O uso de máscara tem sido recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pelo Ministério da Saúde, mesmo para quem não apresenta sintomas da Covid-19. Assim, quem precisar se deslocar por ambientes públicos, como ruas, estradas, praças, transporte de passageiros, etc, ou estiver trabalhando no atendimento em estabelecimentos comerciais autorizados a funcionarem, bem como em ambientes de trabalho compartilhados, deverá utilizar máscara de proteção. Quem descumprir as determinações está sujeito à multa.

A iniciativa das prefeituras tem como objetivo diminuir as chances de contágio pelo novo coronavírus, achatando a curva da doença, e evitar o colapso do sistema de saúde, principalmente nas próximas três semanas, quando se espera que os casos da doença dobrem.

Atenção:

  • As máscaras devem ser confeccionadas preferencialmente em tecidos de algodão.
  • O equipamento de proteção é de uso individual e não deve ser compartilhado.
  • Cada máscara deve ser utilizada por no máximo três horas e trocada quando estiver úmida, danificada ou com sujeira aparente.
  • Cada máscara deve ser lavada separadamente, com água e sabão, após ficar de molho em solução de água com água sanitária ou outro desinfetante, por 20 a 30 minutos.
  • Cada máscara deve ser passada com ferro quente após secar, e guardada em um recipiente fechado antes do uso.
  • Máscaras feitas de sacola plástica e garrafa pet não são recomendadas.
  • Máscaras cirúrgicas ou a N95 devem ser usadas apenas pelos profissionais de saúde, tendo em vista a escassez desses produtos.
  • As máscaras caseiras não são 100% seguras, mas ajudam a diminuir a disseminação do vírus por pessoas assintomáticas ou pré-sintomáticas, que podem transmitir o vírus sem saber; porém não protege o indivíduo que a está utilizando, pois não tem capacidade de filtragem. Por isso, a importância de todos usarem.
  • Independentemente do uso de máscara, todos devem continuar seguindo os cuidados básicos, como lavar sempre as mãos, evitar tocar os olhos, bocas e nariz e manter cerca de 2 metros de distância de outras pessoas quando estiver na rua.