Notícias

24/04/2018

ESocial nas áreas de Saúde e Segurança do Trabalho foi tema de palestra na UCT

A Universidade Corporativa do Transporte (UCT) promoveu, dia 18 de abril, no Espaço UCT, a palestra “Os desafios para a área de Saúde e Segurança do Trabalho no eSocial”. O evento fez parte de um Ciclo de Ações com o objetivo de orientar as empresas de transporte por ônibus do Estado do Rio de Janeiro sobre a nova obrigatoriedade de utilização do eSocial e as mudanças que serão geradas nos processos de trabalho e dados das organizações.

 

A palestra foi ministrada por Marcos Jorge Gama Nunes, mestre em Saúde Ocupacional pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Mais de 100 pessoas das áreas de Saúde e Segurança do Trabalho (SST), Departamento Pessoal e Jurídico das empresas de ônibus participaram do evento, que foi transmitido online pelo site da UCT (https://uct.fetranspor.com.br).

 

Foto: Arthur Moura

Foto: Arthur Moura

 

No começo da palestra, Gama Nunes apresentou um resumo da história da Saúde e Segurança do Trabalho no Brasil e seus avanços ao longo dos anos e destacou alguns números importantes que serão impactados pelo eSocial no País:

 

– mais de 40 milhões de empregados,
– mais de 8 milhões de empresas,
– mais de 80 mil escritórios de contabilidade,
– mais de meio milhão de empresas de TI
– mais de seis mil agências governamentais.

 

Sobre a dimensão do eSocial para as áreas de Saúde e Segurança do Trabalho, o palestrante também exemplificou com números: 613 mil acidentes e 2.502 óbitos, no Brasil, e 337 milhões de acidentes e 2,3 milhões de óbitos, no mundo. “A cada minuto morrem mais de quatro trabalhadores no mundo por acidente de trabalho ou doença ocupacional e isso custa mais de 4% do PIB mundial”, disse.

 

Gama Nunes apresentou as fases de implementação dos eventos e o sequenciamento, como: informações ao empregador (inicial), eventos de tabelas, cadastramento inicial de vínculos (inicial), eventos não periódicos e eventos periódicos. De acordo com a programação do governo, empresas com faturamento maior que 78 milhões de reais anuais já em janeiro deste ano passaram a adotar o eSocial. As demais empresas serão a partir de julho. Em janeiro de 2019, serão os órgãos públicos. Cada uma dessas etapas é dividida em cinco fases e os eventos de SST estão na quinta, após: eventos da empresa, trabalhadores e seus vínculos, dados da folha de pagamento e substituição da GFIP.

 

Para cumprir a fase cinco, dos dados de SST, o palestrante destacou todas as informações necessárias e orientou que os profissionais iniciassem esse trabalho logo, pois envolverá muitas informações e detalhamento das mesmas. Como por exemplo as referentes tanto ao ambiente de trabalho, como ao trabalhador, aos equipamentos, à exposição ao risco e à insalubridade, e, ainda, à aposentadoria especial. E deu a seguinte dica: “Encare a transição para o eSocial como uma oportunidade para melhorar a gestão empresarial e a comunicação entre as equipes envolvidas. Reuniões, grupos de trabalho e contratação de consultorias, além de estabelecer metas e objetivos, podem ajudar a passar mais facilmente por esta fase”.

 

A palestra completa e as demais ações da UCT sobre o eSocial, bem como um e-book, estão disponíveis no site https://uct.fetranspor.com.br.