Notícias

27/08/2015

Fetranspor e ANTP certificam profissionais das empresas de ônibus

“Melhorar cada vez mais a qualidade dos serviços oferecidos pelas empresas de transportes de passageiros”. Assim resumiu o presidente-executivo da Fetranspor, Lélis Teixeira, o objetivo da Federação em qualificar seus profissionais durante a solenidade de certificação da segunda turma do Programa de Gestão para Excelência que aconteceu no auditório do Rio Ônibus, no último dia 27 de agosto.

 

Foto: Jorge dos Santos

Foto: Jorge dos Santos

 

O curso é desenvolvido através da parceria estabelecida entre a Fetranspor e a ANTP – Associação Nacional dos Transportes Públicos e tem como premissa básica dar aos gestores das empresas de ônibus conhecimento necessário para liderar a aplicação do modelo de excelência da gestão, nas respectivas instituições de modo que evoluam na operação cotidiana.

 

Para o superintendente da ANTP, Luiz Carlos Néspoli, a certificação dos participantes do curso merece destaque porque “o programa gera conhecimento, auxilia na construção de competências que vai ajudá-los na resolução de questões ligadas a mobilidade urbana que agrega atributos que demandam uma gestão de qualidade. No país, há uma carência de pessoas que trabalham com gestão”.

 

No total, os alunos dedicaram 152 horas de atividades durante quatro meses, entre aulas presenciais, seminário, visitas técnicas e aplicações práticas nas empresas de ônibus, com apoio de tutores para que a teoria se transformasse em realidade com o real exercício nas 12 operadoras participantes do programa.

 

Foto: Jorge dos Santos

Certificado Vinicius com o presidente-executivo Lélis Texeira | Foto: Jorge dos Santos

 

Em relação ao papel da Federação como instituição defensora da melhoria da qualidade de vida para a sociedade por meio da mobilidade eficiente, Néspoli elogiou a iniciativa da Fetranspor em qualificar o trabalho desenvolvido no Rio de Janeiro. “A ANTP tem contato com todo o país e a Fetranspor tem um conjunto de iniciativas difícil de ver em outros estados. Entretanto, o sistema de transporte não depende somente dos operadores, mas sim das cidades e dos governos. Se todos melhorarem, os operadores investirão ainda mais”.