Notícias

24/07/2020

Fetranspor integra rede voluntária + Manutenção de Respiradores

A Fetranspor está participando da iniciativa + Manutenção de Respiradores, uma rede voluntária que entrou em operação em março, logo após o começo da pandemia da Covid-19 no Brasil. O objetivo é realizar a manutenção de respiradores mecânicos sem uso e destiná-los a hospitais, ajudando no tratamento de pacientes da doença. A Federação passou a integrar a iniciativa em junho, contribuindo com a doação de peças extremamente necessárias para a recuperação dos equipamentos.

A rede voluntária é formada pelo Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial), ArcelorMittal, BMW Group, Fiat Chrysler Automóveis (FCA), Estúdios Globo, Ford, General Motors, Honda, Hyundai Motor Brasil, Instituto Votorantim, Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) e Poli-USP, Jaguar Land Rover, Mercedes-Benz do Brasil, Moto Honda, Petrobras, Renault, Scania, Toyota, Troller, Usiminas, Vale, Volkswagen do Brasil e Volvo do Brasil. A Fetranspor integra a rede de parceiros do estado do Rio de Janeiro, sob coordenação da Jaguar Land Rover do Brasil, que inclui ainda: Fundação Oswaldo Cruz, Medical Sul, Petrobras-BR, Conselho Regional dos Técnicos Industriais do Estado do Rio, Equipare, Nissan, Michelin, Rodo Fly, Penske Logistics e JM Transportes.

São 40 pontos para recebimento dos equipamentos, sendo a metade deles composta por unidades do Senai e a outra metade concentrada nos parceiros, de forma a atender todos os estados brasileiros e DF. Para o transporte dos ventiladores mecânicos de estados em que não há ponto de manutenção, o projeto conta com a parceria do Ministério da Defesa. Também apoiam a iniciativa: Ministério da Saúde, Ministério da Economia, Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e Associação Brasileira de Engenharia Clínica (ABEClin).

Os respiradores mecânicos são fundamentais para o tratamento de pacientes com sintomas graves da Covid-19. Entre eles, está a síndrome respiratória aguda grave, uma das consequências mais sérias da doença. A estimativa é que cada ventilador recuperado poderá atender até dez pessoas durante o período da pandemia. Até o dia 17 de julho, o projeto havia recebido 3.885 respiradores e entregue 1.820, impactando em 18.200 vidas. Ainda estão em manutenção 1.092 aparelhos e 185 em calibração.