Notícias

18/09/2015

Fetranspor presente no Fórum Nacional sobre Segurança no Trânsito promovida pela Cruz Vermelha

No dia 18 de setembro, início da Semana Nacional do Trânsito, a Cruz Vermelha Brasileira promoveu em sua sede o I Fórum Nacional sobre Segurança Viária. O evento contou com apoio das filiais estaduais e serve como alerta para o aumento dos acidentes de trânsito no Brasil que representam uma grave questão de saúde e segurança pública nas estradas, face às milhares de vítimas fatais e feridos em decorrência do número de acidentes.

 

Entre os palestrantes que participaram das plenárias realizadas, no Salão Nobre da Cruz Vermelha no Rio de Janeiro, estavam autoridades como o deputado federal e autor da “Lei Seca”, Hugo Leal; e da deputada federal Cristiane Yared, que perdeu um filho em brutal acidente de trânsito no Paraná, além de outros representantes de diversas instituições que tratam da segurança viária. O assessor médico da Fetranspor, Fernando Moreira, que participou da mesa redonda “Acidentes de Transito, Uma questão de Saúde Pública”.

 

Foto: Jorge dos Santos

Foto: Jorge dos Santos

 

Moreira dividiu a mesa com o consultor do Departamento Nacional de Educação e Saúde da Cruz Vermelha Brasileira, José Mauro Braz de Lima; com o diretor do Instituto Parar, Ricardo Imperatriz; além da antropóloga Marisa Dreys, especialista em direção defensiva. Ricardo apresentou as ações e objetivos do Instituto enquanto Marisa falou sobre as estatísticas de acidentes que estão disponíveis no site da Polícia Rodoviária Federal e que poderão auxiliar na formulação de ações preventivas às ocorrências nas estradas brasileiras.

 

Fernando mostrou algumas iniciativas que estão em curso e que tem auxiliado na redução de acidentes como a Lei Seca 11.705/2009, o uso de equipamentos de retenção no transporte de crianças – como previsto na resolução 277 do Contran – o uso de equipamentos de segurança na condução de motos e também alertou para os riscos do uso do celular no transporte, o abuso da velocidade e a relação direta da mesma com as mortes no trânsito. “Trata-se de um problema social que temos no Brasil e os impactos na economia são drásticos”.

 

José Mauro Braz de Lima foi enfático ao falar do volume de vítimas fatais por ano em decorrência dos acidentes de transito no país. “O Brasil mata a cada ano no trânsito a mesma quantidade que de pessoas que morrem na guerra da Síria”.

 

Mauro lembrou também o esforço da Onu/OMS ao lançar a campanha da Década Mundial de Segurança Viária com objetivo de conscientizar e prevenir os acidentes de trânsito de modo a reduzir em 50% às ocorrências até 2020. O especialista acredita que o desafio é grande e que, para que isso ocorra, é necessário o engajamento de diversos segmentos sociais e lista cinco passos para que se consiga atingir a meta. “Informação, educação e conscientização. Outros dois passos devem ser adotados pelo Estado que são a fiscalização e a penalização”.