Notícias

21/06/2016

Jornal Extra discute legado da Olimpíada para a mobilidade urbana carioca

O projeto Extra Conect@ Mobilidade Urbana, promovido pelo jornal Extra e Fetranspor, no dia 21 de junho, na sede do jornal, e transmitido ao vivo pelo Facebook do Extra, discutiu o legado que a Olimpíada, que acontecerá de 5 a 21 de agosto, deixará para a mobilidade urbana da cidade do Rio de Janeiro.

 

A pergunta que permeou o evento foi “Como será o amanhã, após os Jogos Olímpicos?”. Ou seja: O que será dos novos sistemas de transportes, como os BRTs, BRSs, VLT e a linha 4 do metrô, construídos para atender à demanda do projeto Olímpico para a mobilidade, compromisso firmado ainda na candidatura da cidade aos Jogos, e se serão realmente úteis para a população após o término do evento esportivo.

 

Foto: Eduardo Auler

Foto: Eduardo Auler

 

O debate contou com a participação de especialistas na área de transportes públicos, como: William de Aquino, diretor da ANTP (Associação Nacional dos Transportes Públicos); Vicente Loureiro, responsável pela Câmara Metropolitana, criada pelo governo do Estado do Rio para atuar nessa área, e Jurandir Fernandes, ex-secretário de Transportes de São Paulo e membro da UITP (União Internacional de Transportes Públicos).
Os debatedores foram unânimes em apontar como maior benefício da Olimpíada, mais do que os novos sistemas de transportes em si, é o fato de que o poder público mudou o foco de suas ações, antes voltadas mais para os automóveis e agora concentradas no transporte público, ciclistas e pedestres. Mudou a cultura.

 

“O Rio se transformou. Derrubar a perimetral, fechar a Rio Branco para carros, colocar faixa só para BRT na Avenida das Américas, tudo tem a ver com essa mudança. E a sociedade não pode deixar voltar”, afirmou Aquino. “Tem que cobrar dos próximos governantes o prosseguimento desse processo”, acrescentou Jurandir Fernandes. Para Loureiro, nem mesmo eventuais problemas durante a Olimpíada devem desviar o Rio desse caminho.