Notícias

01/05/2019

Niterói inicia operação do corredor de ônibus TransOceânica

Foi inaugurado, na manhã de sábado, 27 de abril, em Niterói, o corredor de ônibus TransOceânica, que reduzirá o tempo das viagens municipais em cerca de 30% e beneficiará 125 mil pessoas diariamente. A via exclusiva adota o sistema BHLS (Bus with High Level of Service), conta com 9,3 quilômetros de extensão, 13 estações em 12 bairros e liga a Região Oceânica à Zona Sul de Niterói, através do túnel Charitas-Cafubá.

 

A inauguração foi realizada na Estação Praça Central (próxima ao posto Monza), às 10h, e os ônibus começaram a circular com passageiros a partir das 13h. Estiveram presentes: o prefeito de Niterói, Rodrigo Neves; o secretário municipal de Urbanismo, Renato Barandier; a diretora de Mobilidade Urbana da Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro, Richele Cabral, e o presidente do Setrerj, Marco Henrique Coutinho, entre outras autoridades.

 

Durante o evento, o prefeito ressaltou que a cidade é a única com o sistema BHLS no Estado do Rio e que a via expressa é a maior obra de mobilidade urbana já realizada na história de Niterói. “Fizemos o nosso dever de casa, com planejamento, seriedade e gestão responsável, e conseguimos entregar o túnel Charitas-Cafubá em menos de dois anos. Já passaram mais de 25 milhões de veículos pelo túnel. São pessoas que ganharam mais tempo para ficar com as suas famílias”, afirmou.

 

Segurança e informação

 

A obra do TransOceânica, esperada há mais de 40 anos pelos niteroienses, receberá 44% do tráfego de ônibus municipais, que farão a migração para a pista exclusiva de forma gradual. O valor da passagem, atualmente de R$ 3,90, será o mesmo das demais linhas municipais. Segundo o secretário municipal de Urbanismo, Renato Barandier, um dos diferenciais do novo corredor é o sistema de informação ao usuário, com estações inteligentes. “Todas contam com painéis que informarão o tempo de chegada de cada ônibus. Os usuários poderão acompanhar a localização dos coletivos no mapa, tendo confiabilidade no tempo de chegada de cada linha”. Barandier também destacou o sistema de segurança das estações, com câmeras, e seus bicicletários, que contam com 10 vagas cada.

 

Os motoristas foram treinados durante três semanas para a operação dos novos veículos. O desafio agora, de acordo com o secretário, é a adaptação dos passageiros ao novo modelo de ônibus e aos itinerários e também a conscientização de pedestres e ciclistas que, durante o período de obras, transitavam na pista exclusiva. Assim, para garantir a segurança nos primeiros dias de operação, carros batedores utilizados na fase de testes continuarão a abrir o caminho para os ônibus, cuja velocidade máxima permitida será de 40 km/h no corredor e 30 km/h nas estações.

 

Também está sendo realizada uma campanha de conscientização para evitar acidentes. “Cerca de 40 pessoas atuam na divulgação do início da operação para informar a população sobre a circulação do BHLS e garantir a segurança dos usuários. Quinze mil panfletos foram distribuídos com dados da operação do moderno sistema de transporte coletivo. Também foram desenvolvidas campanhas de conscientização sobre o uso das faixas exclusivas de BHLS na internet. Trinta e seis agentes de trânsito da Nittrans atuarão em todo o percurso dos novos ônibus, em especial nas rotatórias e nos cruzamentos”, informou Barandier.

 

Linhas e operação

 

Numa primeira etapa da migração dos ônibus municipais, foram criadas três novas linhas, com 43 ônibus  com destino ao Centro de Niterói via túnel Charitas-Cafubá: Oceânica 1 (Piratininga x Centro), Oceânica 2 (Itaipu x Centro) e Oceânica 3 (Itaipu x Centro via Engenho do Mato). Elas substituem as linhas: 38 (Itaipu), 39 (Piratininga) e 39B (Piratininga x Charitas) e 38B (Itaipu x Charitas). Continuam em operação na Região Oceânica, sem passar pelo túnel Charitas-Cafubá, as linhas: 38A (Itaipu x Centro via Largo da Batalha), 39A (Piratininga x Centro via Largo da Batalha); 46 (Várzea das Moças x Centro via Largo da Batalha e Praia de Icaraí), 52 (Baldeador x Itaipu via Largo da Batalha) 54 (Sapê x Piratininga), 55A (Várzea X Piratininga). Apenas a linha 52A (Baldeador X Itaipu via túnel Charitas-Cafubá) sofreu alteração, com o novo trajeto sendo realizado entre o Baldeador e Charitas.

 

Os usuários das três novas linhas não precisarão fazer baldeação, pois, entre os pontos finais (Itaipu e Piratininga) e a via expressa, o itinerário atual será mantido, com os veículos parando para embarque nos pontos já existentes. Ou seja: os ônibus, além de operarem no leito do corredor, também circularão pelas ruas e avenidas onde não funciona a pista exclusiva. Por isso, os veículos contam com portas dos dois lados. Além disso, os novos ônibus possuem acessibilidade total, capacidade para 90 passageiros e são climatizados.