Notícias

13/02/2019

NTU apresenta histórico de ônibus incendiados entre 2004 e 2019

A NTU (Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos) divulgou um histórico de registro de ônibus totalmente incendiados entre os anos 2004 e 2019, no Brasil. De acordo com o levantamento, atualizado no dia 4 de fevereiro passado, foram registradas 2.382 ocorrências nesse período em todo o País. Somente nos primeiros dois meses de 2019 já foram registradas 32 ocorrências.

 

A região Sudeste teve o maior índice de ônibus incendiados (71,9%), sendo o Estado de São Paulo o recordista, com 29,4% dos casos, e desses, 18,5% na capital paulista. A cidade do Rio de Janeiro vem logo atrás, com 14,1% das ocorrências. Na Região Metropolitana do Rio foram registrados 122 incêndios a ônibus (5,1%). Entre os Estados do Sudeste, Minas Gerais ocupa a terceira colocação, com 386 registros nos últimos 15 anos. Já em 2019, o nordeste foi o recordista, com 24 veículos incendiados, devido à onda de violência no Ceará, iniciada em janeiro.

 

No comparativo entre as regiões brasileiras, o nordeste fica em segundo lugar, com um total de 369 registros, o sul ocupa a terceira posição, com 126, seguido pelo centro-oeste, com 106. Na região norte, foram incendiados 69 ônibus, no período entre 2004 e 2019. O ano de 2014 foi o mais violento, com 657 casos em todo o Brasil. Em 2015, o número caiu para 313 e em 2016 para 259, subindo novamente no ano seguinte, para 345, e caindo para 225, em 2018.

 

A partir de pesquisas nos acervos dos jornais O Estado de São Paulo, Folha de São Paulo e O Globo, a NTU conseguiu também fazer um levantamento para o período anterior a 2004, entre 1987 e 2003, identificando 2.023 ônibus incendiados no Brasil. Assim, com base nesta pesquisa e no acompanhamento iniciado junto às empresas filiadas, a partir de 2004, o número de ônibus incendiados entre 1987 e 2019 chega a 4.403 em todo o País, com 20 vítimas fatais e 63 feridos graves.

 

No livro “Fogueiras da Insensatez – Por que queimam os ônibus no Brasil?”, de autoria do presidente do Conselho da NTU e vice-presidente da Confederação Nacional do Transporte (CNT), Eurico Divon Galhardi, publicado pela NTU e CNT, no ano passado, são apresentados dados e fotos que chocam e busca-se entender a questão da violência contra os ônibus no Brasil. “Quando pensei em publicar este livro para buscar compreender e explicar melhor o tema, imaginei que pudesse encontrar estudos, ideias e propostas consolidadas para enfrentar o problema. Mas o que vejo é que a curiosidade sobre o tema ainda está restrita aos diretamente envolvidos com o assunto. A NTU vem liderando as discussões nesse sentido, após consolidar um estudo estatístico que mostra a história e a amplitude dos incêndios criminosos de ônibus urbanos”, afirma o autor no texto de apresentação da publicação.

 

 

Acesse

 

Livro “Fogueiras da Insensatez – Por que queimam os ônibus no Brasil?”

Histórico de registro de ônibus totalmente incendiados entre os anos 2004 e 2019