Notícias

01/02/2021

Ônibus incendiado em Duque de Caxias é 222º no estado do Rio desde 2016

Mais um ônibus foi incendiado no estado do Rio de Janeiro, dia 28 de janeiro. O veículo, da Transportes Santo Antônio, que fazia a linha Estrada da Pedrinha x Sarapuí, de Duque de Caxias, foi parado na Avenida Presidente Kennedy, próximo à favela da Mangueirinha. Motorista e passageiros foram obrigados a descer e, em seguida, os bandidos atearam fogo no ônibus. A Polícia Militar ainda está investigando o crime.

A Fetranspor informou, em nota, que, com mais esse ataque, o número de ônibus destruídos por bandidos no Estado chega a 222. Confira abaixo a íntegra da nota:

A Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro (Fetranspor) lamenta mais um ataque a ônibus na Baixada Fluminense. Desta vez, o incêndio criminoso aconteceu com um veículo da empresa Transportes Santo Antônio, que fazia o trajeto Estrada da Pedrinha x Sarapuí.

Um grupo jogou pedras no coletivo e forçou a sua parada na Avenida Presidente Kennedy, no bairro Corte 8, próximo à favela da Mangueirinha. Os passageiros foram obrigados a desembarcar, e o veículo foi incendiado em seguida. Não houve feridos.

Este é 62º ônibus incendiado de empresas filiadas ao Setransduc, sindicato que atua na região de Duque de Caxias e Magé, desde 2016. O quarto no curto espaço de tempo de novembro do ano passado até hoje (29/01). Com isso, sobe para 222 o número de ônibus incendiados no Estado do Rio desde 2016. Destes, mais de 40% eram climatizados.

Tais ações impactam diretamente a população, que sofre com a redução da oferta de transportes. Um ônibus incendiado deixa de transportar cerca de 70 mil passageiros em seis meses, tempo que seria necessário para a recomposição da frota. É importante lembrar, no entanto, que a inexistência de seguro para este tipo de sinistro e a crise econômica do setor, que tem feito as empresas perderem a capacidade de investimentos, tornaram completamente inviável a reposição de ônibus incendiados.