Notícias

08/04/2021

Pesquisa CNT: 54,3% dos transportadores dizem que situação das empresas é ruim

A CNT (Confederação Nacional do Transporte) acaba de divulgar os resultados da 6ª rodada da Pesquisa de Impacto no Transporte – Covid-19. Ao longo do ano passado, as cinco rodadas da Pesquisa mostraram uma situação aguda de queda de demanda e faturamento, que gerou uma deterioração da capacidade de pagamentos e um acúmulo de prejuízos para a maioria das transportadoras. A nova edição mostra que, um ano depois, o cenário de dificuldades persiste: apenas 1,2% dos que responderam afirmaram que os prejuízos causados pela Covid-19 em sua empresa terminaram em 2020, e 53,4% relatam que não é possível prever quando terminarão.

Diante dos contextos econômico e sanitário atuais, transportadores revelam pessimismo em relação ao futuro. No primeiro trimestre de 2021, o Brasil atingiu a pior fase da pandemia até o momento. Mais da metade dos transportadores (54,5%) avaliaram que a situação atual de suas empresas é ruim. Outros 30,5% consideram o desempenho de suas empresas satisfatório, e apenas 12,4% avaliaram a situação atual como boa. O total de transportadores que avaliaram a situação atual de suas empresas como ruim em março de 2021 foi 6,4% maior que o total que apontou esse cenário em agosto de 2020, na última pesquisa.

As expectativas para os próximos meses também não se mostraram otimistas, visto que 74,3% dos transportadores que responderam esperam que a situação de suas empresas piore ou pelo menos se mantenha como está atualmente; 20,5% acreditam em uma possibilidade de melhora nos próximos seis meses; e 5,2% não quiseram ou não souberam responder à questão.

 

Confira abaixo alguns dos principais índices apurados pela Pesquisa.

Falta de perspectiva

  • 97,0% afirmaram que os prejuízos causados pela COVID-19 não terminaram em 2020
  • 53,4% não conseguem prever quando terminarão os prejuízos

Cenário adverso

  • 68,3% tiveram redução de demanda em 2021
  • 69,0% tiveram redução do faturamento
  • 52,4% relataram aumento do endividamento de suas empresas em 2021
  • 43,4% solicitaram crédito este ano por conta da pandemia
  • 46,4% dos que solicitaram crédito tiveram o pedido negado

Demissões

  • 40,3% dos entrevistados já demitiram em 2021
  • 57,3% destes acreditam que ainda será necessário realizar mais demissões

Ações prioritárias do governo

  • 73,4% dos entrevistados apontam a vacinação como a principal medida para retomada da economia
  • 49,5% dos transportadores acreditam que a disponibilização de linhas de especiais de crédito auxiliaria na superação da crise