Notícias

02/02/2021

Preço da passagem de ônibus em Petrópolis poderia ser R$ 1,71

O Setranspetro e as empresas de ônibus de Petrópolis informaram que o valor da passagem de ônibus na cidade poderia passar de R$ 4,40 para R$ 1,71. Para chegar a esse número, o Sindicato utilizou seu Simulador de Tarifas, lançado em junho de 2020, que dá aos cidadãos acesso aos componentes que mais impactam para o valor final da tarifa, permitindo recalcular esse valor a partir da implantação de políticas públicas. Assim, a passagem em Petrópolis, calculada pelo Simulador, poderia ser até 61,1% mais barata.

O Simulador de Tarifas pode ser consultado por computador, smartphone ou tablet, através do site http://simulador.setranspetro.com.br/simulador2021/. Na página, os passageiros podem optar por alternativas de múltipla escolha e acompanhar detalhadamente o custo simulado da passagem, tendo a oportunidade de conhecer medidas que poderiam diminuir o valor final.

Todos os cálculos foram realizados com base na tarifa atual, de R$ 4,40. Na simulação, o Setranspetro destaca, por exemplo, a queda de R$ 0,10 no valor da tarifa, caso houvesse isenção tributária municipal. Além disso, segundo o orçamento anual de Petrópolis do último ano, se 10% da receita do IPVA e 5% da arrecadação com o IPTU fossem destinados para subsidiar uma parte da tarifa do transporte público, a passagem poderia ser até R$ 0,25 menor.

De acordo com o Sistema de Bilhetagem Eletrônica, e com os dados oficiais, é constatado que apenas 11% dos passageiros se beneficiam do Sistema de Integração, enquanto outros 89% dos passageiros sequer o utilizam. Nesse caso, a passagem de ônibus poderia ser até R$ 0,30 menor, caso os passageiros que utilizam a integração pagassem uma pequena parcela no valor da tarifa integrada.

Com relação à Mobilidade Urbana, projetos de engenharia de transporte estão sendo discutidos para a priorização do transporte coletivo, inclusive, com a criação de corredores exclusivos, que resultariam em viagens mais rápidas e eficientes. Com a implantação da troncalização do Alto da Serra, Manoel Torres e Araras, por exemplo, o custo da passagem poderia ser R$ 0,10 menor.

Considerando o Programa de Qualificação dos profissionais do setor e a realização do pagamento da tarifa por meio do cartão eletrônico, que chega a mais de 70% das transações, caso fosse aprovado o fim da função de cobrador, a tarifa poderia ser até R$ 0,66 mais barata em Petrópolis.

E caso o governo investisse recursos para arcar com as passagens dos estudantes das redes municipal, estadual e particular de ensino, como forma de subsídio público, a tarifa de ônibus poderia ser R$ 0,70 mais barata. Atualmente, a gratuidade desses alunos corresponde a 590 mil passagens por mês. Já a gratuidade às pessoas portadoras de deficiências e doenças crônicas, que não podem interromper tratamento sob risco de morte, correspondem a 206 mil passagens mensalmente, elevando a tarifa em R$ 0,28.