Notícias

09/08/2018

Seminário da NTU discute novas propostas para o transporte público

Realizado nos dias 1º e 2 de agosto, no Transamérica Expo Center, em São Paulo, o Seminário Nacional NTU 2108 teve como tema “Construindo hoje o novo amanhã: contribuições do transporte público para a mobilidade urbana”. O evento, promovido pela Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU), com apoio da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) e da Associação Brasileira das Empresas de Transporte Terrestre de Passageiros (Abrati), reuniu especialistas em mobilidade urbana, gestores de empresas operadoras do transporte coletivo e de órgãos públicos. Paralelamente foi realizada a Feira Lat.Bus Transpúblico 2018, com cerca de 80 expositores, entre fabricantes de chassis e carrocerias para ônibus, empresas de tecnologia e soluções voltadas à mobilidade urbana e sistemas inteligentes de transporte.

 

Foto: Divulgação / NTU

Foto: Divulgação / NTU

 

Na abertura do evento, o presidente executivo da NTU, Otávio Cunha, reforçou a importância das proposições do setor para inserir o tema transporte público na agenda de governo e informou que o setor já entregou propostas para melhorias desse sistema aos representantes das principais candidaturas à presidência da república.

 

Como ajudar o Brasil?

 

Depois, no painel “O Papel do Transporte público no alcance das metas brasileiras em meio ambiente, saúde e desenvolvimento social”, o debate se deu sobre o tema “Como o setor de transporte público pode ajudar o Brasil a atingir metas globais nas áreas de meio ambiente, saúde e sustentabilidade urbana, incluindo os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas e compromissos assumidos durante o evento da ONU chamado Agenda 2030? Falaram sobre o assunto: o assessor internacional em segurança viária da Organização Mundial da Saúde (OMS), Victor Pavarino, e o diretor-presidente do Observatório Nacional de Segurança Viária (ONSV), José Aurélio Ramalho.

 

A palestra sobre “O caminho do diálogo – construindo relacionamentos com a sociedade, passageiros e funcionários”, ministrada pelo sócio-diretor da empresa FSB Comunicação, Flávio Castro, encerrou o primeiro dia de Seminário. Castro explicou como a comunicação corporativa é importante para o fortalecimento da imagem pública e da competitividade do setor de transporte público urbano. Já o empresário Moacir Bogo, de Joinville (SC), falou de sua experiência com ações simples que melhoraram o relacionamento da sua empresa, a Gidion, com a sociedade e a mídia. O debate foi mediado por Ulisses Bigaton, coordenador do núcleo de comunicação da NTU.

 

Oficinas técnicas

 

No segundo dia de Seminário, foram realizadas oficinas técnicas sobre as últimas inovações tecnológicas e tendências para o futuro do transporte público, no Brasil e no mundo. Nas primeiras oficinas, foram debatidas as soluções para melhorar os sistemas de pagamentos e novos negócios para o transporte por ônibus, começando pela modernização da bilhetagem e retirada do dinheiro do ônibus. Depois, o tema foi a chegada das bandeiras de cartão de crédito ao setor de transporte público, que contou com a participação de representantes da Mastercard, da Transdata, da Tacom, da Empresa 1, da Visa, da Urbi, e da Prodata Mobility. A última oficina da manhã, “Inovação no transporte público: o papel das startups”, teve como mediadora Richele Cabral, diretora de Mobilidade Urbana da Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro, e contou com a participação de representantes da M2M, da Clever Devices, e da UBUS, entre outros. Mais tarde, o debate sobre “o que move o setor: diesel versus híbrido/elétrico” foi iniciado com a apresentação de pequeno vídeo com dados sobre o efeito estufa e aumento de poluentes no meio ambiente. O assunto teve como mediador Francisco Christovam, presidente da SPUrbanuss (SP), e contou com a participação de representantes da BYD, da Eletra Industrial, da Volvo, da Man Latin America e da Mercedes-Benz.

 

Foto: Divulgação / NTU

Foto: Divulgação / NTU

 

Durante o Seminário, a NTU divulgou estudo que revela a perda diária de 3,6 milhões de passageiros no transporte público brasileiro em 2017. O estudo mostra que o transporte público por ônibus perdeu 35,6% dos passageiros pagantes em mais de 20 anos e mostra que a diminuição da demanda foi agravada nos últimos cinco anos. Desde 2014, foi acumulada uma perda média de 25,9% dos passageiros pagantes. Segundo a NTU, a perda explica o aumento das tarifas, por serem menos usuários rateando os custos da operação. O estudo foi feito com base em nove capitais analisadas: Belo Horizonte, Curitiba, Fortaleza, Goiânia, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo.