Notícias

18/07/2018

Simulador de direção é tema de fórum na UCT

Para comemorar os cinco anos do Programa de Direção por Simulador, a Universidade Corporativa do Transporte (UCT) realizou, dia 17 de julho, no Espaço UCT, o fórum “Quais as contribuições da realidade virtual para a segurança viária?”. O evento reuniu, como palestrantes, representantes do Detran/RJ, do Instituto Senai, da SuperVia, do VLT, do Sest Senat e da própria UCT, para falarem das experiências dessas instituições na utilização do simulador de direção nos processos de formação de seus condutores.

 

Na abertura, a diretora da UCT, Ana Rosa Bonilauri, destacou o pioneirismo da instituição e da Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro, ao trazerem para o Brasil, há cinco anos, o primeiro simulador de direção para o transporte por ônibus, que foi adotado, inicialmente, no treinamento de motoristas de ônibus de linhas urbanas e cuja primeira turma começou no TransÔnibus, dia 15 de julho de 2013.

 

Detran e Senai

 

Bruno Gomes, diretor de Ensino do Centro de Formação de Condutores da Escola Pública de Trânsito (EPT), do Detran/RJ, foi o primeiro a falar. Ele explicou como se dá o uso do simulador para a primeira habilitação. “O simulador tem muito valor para quem nunca teve contato com o veículo”, disse. Entre as vantagens, Gomes destacou: identificação dos comandos e controles do veículo, bem como conhecimento detalhado do mesmo e assimilação de automatismos corretos. O diretor aproveitou para falar sobre o projeto “Cidadania sobre Rodas”, promovido pela EPT e voltado para pessoas com deficiência e cujo curso teórico é aplicado em libras, linguagem de surdos.

 

A segunda palestra ficou a cargo do pesquisador e mestre em computação do Instituto Senai de Inovação em Sistemas Virtuais de Produção, Diogo Barboza, que falou sobre “O uso do simulador na ótica do desenvolvedor – o alto custo de fabricação, manutenção e atualização x investimentos garantidos”. Ele destacou as tecnologias existentes no campo da realidade virtual, como os óculos para realidade ampliada e mista, a criação de hologramas sobre o ambiente físico, entre outras. Barboza também mencionou que mais de US$ 2 bilhões já foram investidos em startups neste setor e mais de US$ 1 milhão de aparelhos voltados para este segmento, sejam na área de entretenimento ou empresarial, foram vendidos em 2017. Sobre os custos para se investir em treinamentos com simuladores, o pesquisador explicou que, apesar de alto, é um valor que se paga em pouco tempo.

 

Foto: Rose Alves

Foto: Rose Alves

 

Sest Senat e SuperVia

 

O coordenador de Desenvolvimento Profissional da Unidade de Deodoro do Sest Senat, Edson Teixeixa, ministrou a palestra “O simulador de direção como ferramenta para o desenvolvimento profissional”. Segundo Teixeira, o principal objetivo desse tipo de treinamento é oferecer ao aluno um ambiente seguro para reagir de maneira correta em situações adversas e de risco. As vantagens são: acelerar a aprendizagem, despertar a conscientização do aluno, desenvolver a prática da direção defensiva e atuar na prevenção de acidentes. “Além disso, fortalece as habilidades cognitivas, como noção de espaço, memória e percepção, e melhora a atuação e sensibilidade visual”, disse.

 

O representante da SuperVia, o coordenador de Operações e engenheiro eletricista, Fellipe Gonçalves Aguiar, explicou como funciona o ambiente de simulação para condução de trem. Ele informou que são formadas turmas, cujos participantes podem observar e acompanhar, à distância, o que se passa na cabine com o maquinista que está em treinamento, “permitindo uma aprendizagem mais eficiente”. Segundo Aguiar, o primeiro contato do futuro profissional com a ferrovia se dá no simulador. Há também o curso de reciclagem anual, para todos os maquinistas, e o pontual, para alguns casos identificados pela operação. Entre os benefícios do treinamento no simulador, ele destaca a melhoria da maturidade dos condutores e a otimização do tempo de formação e dos custos de treinamento, formação e reciclagem.

 

Foto: Rose Alves

Foto: Rose Alves

 

VLT e UCT

 

Pelo VLT, estiveram presentes o coordenador do Controle do Centro Operacional (CCO) e Treinamentos com o uso do Simulador de Direção, Rodrigo Feitoza, e o supervisor de Tráfego, Rafael Cunha, que palestraram sobre a “Apresentação e treinamento com foco em melhoria de performance operacional”. Segundo Cunha o treinamento com simulador na empresa ocorre em três etapas (teoria, prática e avaliação de condução prática), com duração de um mês cada. Assim como na Supervia, no VLT também são formadas turmas que podem observar o colega em treinamento. Feitoza explicou que no começo da operação do VLT os condutores eram enviados à França para serem treinados. “Atualmente, são 87 condutores e todos passam pelo simulador, além dos controladores, supervisor e instrutor”, disse.

 

O último palestrante foi o coordenador do Programa de Direção por Simulador da UCT/Federação, João Rodolfo de Sousa, que apresentou alguns dos resultados já alcançados nesses cinco anos de uso do equipamento. Segundo João Rodolfo, mais de seis mil motoristas já foram capacitados, além de 320 educadores. Ele explicou que o Programa envolve, além do simulador, outras ferramentas, como quiz, reportagens, dramatização, debates, cases e vídeos. Entre empresas participantes do Programa, 86% revelaram que o desempenho dos motoristas melhorou. Além disso, houve redução de 51% dos erros no simulador durante o processo de ensino. João Rodolfo também destacou as principais vantagens do treinamento, como: correções de vícios de direção, menor consumo de combustível e desgaste de peças, maior precisão na identificação de panes no veículo e cenário, bem como dos riscos de direção, maior satisfação dos funcionários e, claro, redução do índice de acidentes e consequentemente dos gastos.

 

Apresentações no site

 

Após as palestras, foi realizado debate, com perguntas da plateia, formada por motoristas, educadores, líderes operacionais e profissionais de Recursos Humanos. O debate foi coordenado pelo gerente da UCT, Ronaldo Luzes. As apresentações em Power Point estão disponíveis clicando aqui. As palestras foram gravadas e, em breve, também estarão disponíveis no site da UCT.