Notícias

05/10/2015

Um novo olhar para a mobilidade do Leste Fluminense

Se todos os projetos anunciados no primeiro dia do Seminário Caminhos da Mobilidade Urbana realizado no dia 5 de outubro, no auditório da Universidade Cândido Mendes, em Niterói, saírem do papel, a população dos municípios da região Leste Fluminense do Rio terá melhor qualidade de vida. As cinco cidades comportam aproximadamente dois milhões de pessoas, e que cerca de 80% desse contingente utiliza transporte público diariamente.

 

O evento, patrocinado pelo Setrerj e promovido em parceria com o Jornal O Fluminense, contou, entre os palestrantes, com o secretário de Estado de Transportes, Carlos Roberto Osório. Segundo o secretário, o governo está com uma dívida grande com a região e, em breve, os investimentos em mobilidade urbana realizados nos últimos ano contemplarão a capital. “Estamos trabalhando para reparar essa dívida e melhorar a qualidade de vida dessas pessoas”.

 

Foto: Renato Siqueira

Foto: Renato Siqueira

 

Osório apresentou os projetos considerados prioritários pelo governo do Estado para o aprimoramento da mobilidade como a implantação de um BRT ao longo da RJ 104 ligando o terminal João Goulart em Niterói até o trevo de Manilha, na entrada de Itaboraí, a linha 3 do metrô, investimentos na Ponte graças a nova concessão, além da duplicação na avenida do contorno, da rodovia Niterói x Manilha em parceria com a autopista fluminense e a renovação das barcas.

 

O superintendente do Setrerj, Marcio Barbosa, participou do debate expondo que as empresas que operam o setor de transporte são os responsáveis pelo deslocamento de maior parte da demanda por transporte público na região e que não tem prioridade no transito. “As empresas realizam investimentos constantes e a frota de Niterói é uma das mais novas do Brasil. Precisamos ter prioridade no transporte, com corredores e o BRT”.

 

A gerente de Mobilidade Urbana da Fetranspor, Eunice Horário, apresentou a rede transporte prevista para ser implantada até 2020, contemplando pelo menos dois BRT´s para a região Leste Fluminense e disse que a construção de ambos teria custo menor ao da linha 3, prometida pelo governo do Estado. “Temos dois projetos de BRT ligando Niterói a Alcantara e outro até Manilha. Se o metrô tem custo de R$ 5 bilhões, com R$ 1,5 bilhão construímos os dois corredores e atendemos a população de maneira rápida”.

 

O evento contou ainda com as presenças do prefeito e do vice de Niterói, Rodrigo Neves e Axel Grael; a secretária de Urbanismo, Verena Andreata, além de representantes da CCR Barcas e Ecoponte.