Notícias

27/05/2015

Voluntários se reúnem no Centro do Rio para orientar a população em relação ao uso do sistema biométrico nos ônibus

Para os usuários do sistema de transporte público por ônibus de Niterói a biometria já é uma realidade, e a Rio Ita, ao receber um grupo da terceira idade no seu Programa Portas Abertas, percebeu que ainda existem muitas dúvidas sobre o assunto. Aceitando a sugestão dos próprios visitantes, a empresa promoveu, na tarde desta terça-feira, 26 de maio, uma ação instrutiva com o tema “Gratuidade, esse direito é seu” através da distribuição de folhetos e do apoio do Sindicato das Empresas de Transportes Rodoviários do Estado do Rio de Janeiro (Setrerj) e da RioCard, na Candelária.

 

Foto: Jorge dos Santos

Foto: Jorge dos Santos

 

“Estamos felizes em poder ajudar a sociedade de alguma forma. Apesar de ter dificuldades devido ao fato da minha impressão digital já não estar tão boa, acho a biometria importante porque infelizmente vivemos em meio a muita desonestidade, e meu dedo ninguém poderá usar”, defende a aposentada Luíza Ferreira Mothe, uma das voluntárias da ação. Estudantes do programa Jovem Aprendiz da Rio Ita também ajudaram a esclarecer a população e a mostrar a importância da tecnologia para garantir que o benefício da gratuidade seja usado realmente por quem precisa.

 

Segurança acima de tudo

 

A biometria é uma tecnologia de identificação pessoal que utiliza a digital para identificar o usuário do cartão de passagem. As impressões são coletadas nos postos de cadastramento e as informações aplicadas no cartão RioCard. Ao entrar no ônibus, basta aproximar o cartão do validador, verificar o dedo solicitado e desliza-lo no aparelho. Após a conferência automática, a roleta será liberada se tudo estiver correto.

 

Para Eleni Almeida, funcionária pública, o sistema é importante para evitar fraudes, mas são necessários alguns ajustes: “O processo ainda é muito demorado porque nem todas as pessoas conseguem fazer com eficiência, e isso acaba prejudicando um pouco a viagem. Nem todos têm firmeza nas mãos e precisam tentar muitas vezes. Poderia ser válido no Rio todo, desde que muitas melhorias fossem feitas; inclusive a boa colocação dos equipamentos”.

 

Passageira Eleni Almeida (de blusa verde claro) recebe informações de voluntária | Foto: Jorge dos Santos

Passageira Eleni Almeida (de blusa verde claro) recebe informações de voluntária | Foto: Jorge dos Santos

 

Foram distribuídos 3000 folhetos e os voluntários se reunirão novamente no Centro de Itaboraí nesta quinta-feira (28), a partir das 15h30. “A questão é a segurança, a certeza de que o dono do cartão é quem o está utilizando. É uma vantagem, uma questão de cidadania e mostra que o nosso dinheiro está sendo bem utilizado”, enfatiza Carla Ferreira, oficial da Reserva.